quarta-feira, 30 de março de 2011

o silêncio de todos

Fico imaginando se dentre os problemas os devaneios servem de alguma coisa. Amizades e familiares são frutos de uma relação mútua que deveria ser "protocooperativa". Imagino quantas vezes mentem para que a gente se sinta bem. Quantas vezes mentimos pela mesma razão. Egoísmo, talvez, a falta de sinceridade. Falta transparência, mas uma relação qualquer é tão opaca que o que você conhece não passa da aparência. 

Vejo egoísmo, disputa sem razão e tormenta sem motivo.
Percebo desculpas sem fundamentos e solidão desnecessária.

Mentiras, contamos o tempo todo.
Escapismo, usamos o tempo todo.
Problemas, passamos o tempo todo.
Agimos sozinhos o tempo todo.

 E eu pensava que amizade era uma relação sincera.
Que os pais realmente se orgulham dos filhos.
E no final sai todo mundo encantado e iludido.

No final das contas, não há confiança, não há sinceridade, segurança e fidelidade.

Mas vejo que há, em grande escala, um amor real e fatalmente vomitado.

3 comentários:

  1. É Pedrão, estás fazendo tudo em um novo e maravilhoso formato por aqui. Estou gostando bastante =D

    Escreves com tamanha maestria que me encabulas.

    E eu não estou mentindo =)

    ResponderExcluir
  2. É, bem-vindo ao mundo das relações humanas, infelizmente somos assim e não vejo nenhuma tendência em mudar.

    ResponderExcluir
  3. Haha, Fox, sempre me agradando com suas visitas. Obrigado mesmo, vou fingir que acredito. =)

    Então Leonardo, hipocrisia faz parte de nós, no fundo é necessário que seja assim. Bem-vindo ao blog!

    ResponderExcluir