terça-feira, 5 de abril de 2011

Aperto de mão

E chegou um mendigo cumprimentando
falando de honestidade
  - é necessário para sobreviver
minha resposta foi sobre a sinceridade
minha mão, apertava pela segunda vez.
Cheirava mal, sorriso banguela
tinha um olhar vilipendioso
mais uma vez
                  ...honestidade.
Repeti minha primeira resposta
mais uma vez minha mão apertada.
Me levantei, me olhou triste
"Me perdoe", foi seu único pedido.
Não há o que perdoar, respondi sorrindo
   - procuro falar de honestidade para todos.
Sorri e pensei em fé, perguntei se a tinha
Fé em que? Até eu pensava
Respondeu ele: Em Deus.
E o onibus chegou, ele apenas disse: "Obrigado"
                                        e apertou minha mão.
---
Não tenho muitas conclusões pra tirar sobre isso. Tenho um certo preconceito, admito, talvez pelo fato de ter sido assaltado tantas vezes, eu tenho um certo medo. Desta vez não senti, foi natural, não assustei, não me surpreendi, mas eu tenho valorizado demais sobre "verdade, honestidade e sinceridade", ainda mais neste blog, são acontecimentos "bizarros" que fazem a gente pensar. Ainda não concluí nada sobre o acontecimento, mas já aconteceram tantas coisas que pra mim, coincidências e "fatos aleatórios" não existem.

2 comentários:

  1. Tem gente que aparece do nada nas nossas vidas e deixa um pedacinho delas por aí. Nossas almas estão despedaçadas. Uma parte com cada um que nos marcou.

    ResponderExcluir
  2. Fragmentos de alma, tenho pensado muito nisso ultimamente...

    ResponderExcluir