terça-feira, 25 de outubro de 2011

A fala é alma podre vomitada pela ignorância
não titubeava o pobre velho, sem ciência, falava.

O silêncio não é o ouro que brilha reluzente,
mas é o ouro da alma, a riqueza da mente.

Mente que grita um murmúrio súbito,
com as palavras equivocadas
de sua boca fúnebre.

2 comentários:

  1. Pedro, se um dia eu escrever um terço do que você escreve eu vou ficar satisfeita comigo mesma.

    Fiz uma página no blog, se puder comente o que acha dele. http://denovomaisumavez.blogspot.com/p/sobre-o-blog.html

    ResponderExcluir
  2. Prometo passar lá e comentar em breve, Gabi.

    E poxa, obrigado! Apesar de não concordar e achar sua escrita invejosa. haha

    ResponderExcluir