sábado, 7 de janeiro de 2012

Eu me sinto tão sozinho e vazio, como nada eu sinto e realmente não há nada para sentir. É como se fosse o paroxismo do nada, e o nada em mim. Pois me sinto vazio, desta forma. É sem forma o que eu sinto, de tão abstrato e esquisito que posso comparar ao vazio, que não é nada! Que não é o nada.

Mas talvez não seja nada, vamos continuar nosso caminho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário