segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

O garoto comedor de rosas

Cultivava em seu quarto vasos de rosas. Pensavam as garotas, antes de em sua cama deitar o quão doce e delicado o garoto era, por rosas cultivar. Perguntou uma de suas meninas, qual rosa ele preferia?, vermelhas, brancas, rosadas ou amarelas, mas ele respondeu: orquídeas.

As rosas, ele comia.

As garotas, coitadas, que morriam após as núpcias, carregaram eternamente a dúvida. Por que diabos o garoto cultivava rosas se orquídeas ele mais gostava? Apenas ele sabia que por cada orquídea que sangrava, sofria. Então o garoto as amava. Pobres garotas que se transformavam em rosas.

Após a obscura alquimia, necessária para sua sobrevivência, o garoto se assustou quando uma de suas meninas não se transformou em uma rosa. Parecia uma maravílha que o mataria, a garota, esta que não era doce como as outras, se transformou em orquídea. Esta que permaneceu em seu leito, um vaso cristalino e reluzente, sangrou quando cada rosa naquele quarto murchou.

O triste fim do garoto era, coitado, a morte pela fome.

E a orquídea prosperou.

2 comentários:

  1. hmmmmmmmmmmm safadinho, comendo as rosas... nao. só pq a orquidea é feinha... tsc. preconceito viu. (marina)

    ResponderExcluir