segunda-feira, 26 de março de 2012

Segurei a mão daquela menina
e olhou-me sem saber porque fazia aquilo.
Não me conhecia, se não por olhares
e me ouviu sorrindo:
                 "Não me perca, por mais que não me tenhas
                  uma vez que te tenho em meu peito, me perdi."
Riu das palavras clichês, sem muito compreender
e sorriu por ouvir aquilo, sem ainda compreender.
Perguntei seu nome,
         no mesmo momento respondi.
- eu sei.
As palavras sincronizadas geraram risos
Beijei sua face e fui
deixando para trás um incrível destino
que ainda se cruzaria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário