terça-feira, 22 de maio de 2012

Paradoxo

Vamos nos redimir à falta de criatividade.
Se nada se pensa, nada se cria;
se nada se cria, pode ser que tudo se pensa.
Se tudo se pensa e nada se cria...
...o que pensamos senão nada?

Ainda sim penso, mas não crio.
E agora crio, sem pensar.

Isso só torna tudo ainda mais confuso.
E mais uma vez, sem conclusões.

Um comentário:

  1. Paradoxal como a própria vida, Pedro... só que o paradoxo em palavras se faz mais confortável à nós: é uma verdadeira fuga pela porta dos fundos.
    Relerei esse seu poema toda vez que quiser fazer de uma crise de criatividade uma crise criativa.
    Ótimo poema!

    ResponderExcluir