domingo, 2 de setembro de 2012

Sem coesão

É engraçado. Manter uma rotina de escrita sempre me ajudou desenvolver meus textos. Entretanto, nem sempre a obra é uma realização, afinal, escrever com vontade é o que realmente importa. A rotina pode gerar uma nata de desapego, com qualquer coisa. Não que eu tenha desapegado da escrita, mas percebi que meus textos passaram a ser a nata do ritmo, ignorando o verdadeiro conteúdo, então parei. Já faz quase um mês que não consigo escrever algo, é um recorde muito bem justificado pela minha falta de tempo devido a outras ocupações, mas no fundo, a necessidade de escrever encara a vontade, que por sua vez encara a criatividade, e no final deste duelo de sentidos não há nada. O paradoxo é que o desabafo ainda é uma obra, então o ritmo pode retornar a partir disso, o que é um desejo que encara a necessidade e volta ao duelo de sentidos. É ridiculo (hahaha). Ao menos me alegra ver belíssimas composições brasileiras, que ainda existem!, o que me inspira e ao mesmo tempo me cala. Ao menos temos ótimos exemplos. Mas não importa, vamos voltar à naturalidade... e deixe estar "engraçado".

Nenhum comentário:

Postar um comentário